Barra Cofina

Correio da Manhã

Política
1

Das ‘fake news’ à demissão. Como o BE viu o caso Robles

Ricardo Robles renunciou esta segunda-feira ao cargo de vereador do Bloco de Esquerda na Câmara Municipal de Lisboa.
30 de Julho de 2018 às 13:58
Das ‘fake news’ à demissão. Como o BE viu o caso Robles
Das ‘fake news’ à demissão. Como o BE viu o caso Robles
Das ‘fake news’ à demissão. Como o BE viu o caso Robles
Concelhia de Lisboa do PSD diz que renúncia de Robles retira razão a Catarina Martins
Das ‘fake news’ à demissão. Como o BE viu o caso Robles
Das ‘fake news’ à demissão. Como o BE viu o caso Robles
Das ‘fake news’ à demissão. Como o BE viu o caso Robles
Concelhia de Lisboa do PSD diz que renúncia de Robles retira razão a Catarina Martins
Das ‘fake news’ à demissão. Como o BE viu o caso Robles
Das ‘fake news’ à demissão. Como o BE viu o caso Robles
Das ‘fake news’ à demissão. Como o BE viu o caso Robles
Concelhia de Lisboa do PSD diz que renúncia de Robles retira razão a Catarina Martins

Três dias depois das afirmações em conferência de imprensa, Ricardo Robles renuncia ao cargo de vereador do Bloco de Esquerda. "Nada fiz de condenável", afirmou o agora ex-vereador do Bloco de Esquerda na Câmara Municipal de Lisboa.

O BE defendeu Robles acusando o PSD de "falta de ética", após o pedido de demissão divulgado em comunicado pelo Partido Social Democrata.

Ricardo Robles renunciou esta segunda-feira ao cargo de vereador do Bloco de Esquerda na Câmara Municipal de Lisboa, após a acusação de publicação de "fake news" e um caso que era um "absurdo".

Ricardo Robles – "Nada fiz de condenável e nada tenho a esconder"
"É falso que tenha havido qualquer despejo e considero que procedi de forma exemplar. Não há nada de reprovável na minha conduta", sublinhou Robles na conferência de imprensa onde descartou qualquer especulação imobiliária.

Recorde-se que em setembro de 2017, Robles condenou a gestão de Fernando Medina na câmara de Lisboa, sublinhando que a venda de imóveis municipais contribuía para a "subida dos preços especulativos" em Lisboa.

Catarina Martins – A voz ativa na defesa de Ricardo Robles
Notícias, manchetes ou capas de jornais falsas. Para Catarina Martins era um "absurdo".

A coordenadora do Bloco de Esquerda não tinha duvidas que a compra não era uma "operação especulativa".

A deputada atirou contra a comunicação social e contra o PSD "em vez de tirar consequências das investigações de que está a ser alvo, decidiu perseguir o Bloco de Esquerda".


Luis Fazenda – "São circunstâncias que, no Bloco, nós condenamos"
O co-fundador do Bloco de Esquerda, Luis Fazenda, foi uma das vozes críticas a respeito do caso Robles.

Francisco Louçã – "Não há nenhuma explicação para este pedido de demissão"

Os elementos do BE tem que se "habituar" a ser "sempre escrutinadíssimos na sua vida pessoal": "Ninguém se deve irritar com isso. Devem habituar-se que é assim que é e é assim que vai ser", afirmou Francisco Louçã.

O ex-coordenador do Bloco de Esquerda afirmou que "não há nenhuma explicação para este pedido de demissão", referindo-se ao pedido do PSD. Francisco Louçã tratou o caso como "uma forma de entretenimento de fim de julho".

Mariana Mortágua - "O que move Ricardo Robles... não é a especulação"

A compra "não foi especulativa", afirmou Mariana Mortágua.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)