Barra Cofina

Correio da Manhã

Política
4

Marcelo Rebelo de Sousa: “O meu Natal vai ter confusão e solidão”

Presidente lamenta passar a data sem o filho mais velho e os netos.
Beatriz Ferreira 23 de Dezembro de 2018 às 01:30
Marcelo Rebelo de Sousa participou ontem num almoço-convívio com centenas de moradores da freguesia de Campolide, na Mesquita Central de Lisboa
Marcelo Rebelo de Sousa participou ontem num almoço-convívio com centenas de moradores da freguesia de Campolide, na Mesquita Central de Lisboa
Marcelo Rebelo de Sousa participou ontem num almoço-convívio com centenas de moradores da freguesia de Campolide, na Mesquita Central de Lisboa
Marcelo Rebelo de Sousa participou ontem num almoço-convívio com centenas de moradores da freguesia de Campolide, na Mesquita Central de Lisboa
Marcelo Rebelo de Sousa participou ontem num almoço-convívio com centenas de moradores da freguesia de Campolide, na Mesquita Central de Lisboa
Marcelo Rebelo de Sousa participou ontem num almoço-convívio com centenas de moradores da freguesia de Campolide, na Mesquita Central de Lisboa
Marcelo Rebelo de Sousa participou ontem num almoço-convívio com centenas de moradores da freguesia de Campolide, na Mesquita Central de Lisboa
Marcelo Rebelo de Sousa participou ontem num almoço-convívio com centenas de moradores da freguesia de Campolide, na Mesquita Central de Lisboa
Marcelo Rebelo de Sousa participou ontem num almoço-convívio com centenas de moradores da freguesia de Campolide, na Mesquita Central de Lisboa
Nos próximos dias e até dia 26, Marcelo Rebelo de Sousa mal terá tempo para descansar. "O meu Natal será uma grande confusão, com a agenda cheia, mas também uma grande solidão. Não tenho cá o meu filho nem os meus netos", lamentou o Presidente ao CM.

O Chefe de Estado participou este sábado num almoço na Mesquita Central de Lisboa. Antes de se sentar para a refeição, Marcelo cumprimentou cada uma das muitas pessoas que se juntaram no convívio organizado pela Comunidade Islâmica de Lisboa.

"[O evento] é um gesto de serviço à comunidade e um gesto de abertura a todos", defendeu. Marcelo Rebelo de Sousa prevê um Natal atarefado.

"Tirando o curto período de jantar com a minha filha, os meus irmãos e sobrinhos, já preenchi o meu tempo", avançou ao CM. A agenda já está definida: "Vou a uma IPSS [Instituição Particular de Solidariedade Social] amanhã [hoje], depois à ginjinha no Barreiro. A seguir, ao Hospital de São João, no Porto. Antes, tenho um encontro com imigrantes no meio do continente". O Presidente anda "de um lado para o outro, no Sul, Centro e Norte". "Quando chegar ao fim do Natal, isto é, dia 26 de madrugada estarei exausto, mas feliz".

Na Mesquita da capital, rodeado de pessoas, lamentou apenas que o filho, Nuno, e os netos (que vivem no Brasil) não lhe façam companhia no Natal. Nem mesmo no final do ano, altura em que viaja para Brasília, onde, a 1 de janeiro, assiste à tomada de posse do presidente eleito, Jair Bolsonaro. "Não vou ver [a família]. Nessa altura estarão a preparar a partida para a China [onde vão morar]. É como ir a Roma, mas não ver o Papa", desabafou.

Antes de servido o almoço - frango com batatas - Marcelo voltou a dirigir-se aos participantes. "Sentimo-nos hoje mais unidos, menos sozinhos. Um bom Natal para todos".

SAIBA MAIS
2005
A iniciativa que decorreu no refeitório da Mesquita de Lisboa e foi organizada pela comunidade islâmica já acontece há 13 anos, desde 2005, e junta famílias carenciadas da freguesia de Campolide, em Lisboa.

"Sociedade diversa"
Segundo o Chefe de Estado, a maioria dos que participam "não são muçulmanos", sendo que o evento mostra "o que deve ser a sociedade portuguesa: diversa e tolerante". Marcelo disse ter encontrado no almoço "o líder da comunidade mórmon, evangélicos, católicos, budistas".
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)