Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
9

São afinal três os grupos de cães agressivos em Sintra

Matilhas ainda não foram capturadas por "falta de capacidade" da autarquia.
Daniela Vilar Santos e Marta Ferreira 30 de Julho de 2018 às 20:53
Cães de grande porte estão a assustar quem tenta entrar ou sair do parque
Cães de grande porte estão a assustar quem tenta entrar ou sair do parque
Cães de grande porte estão a assustar quem tenta entrar ou sair do parque
Cães de grande porte estão a assustar quem tenta entrar ou sair do parque
Cães de grande porte estão a assustar quem tenta entrar ou sair do parque
Cães de grande porte estão a assustar quem tenta entrar ou sair do parque
Cães de grande porte estão a assustar quem tenta entrar ou sair do parque
Cães de grande porte estão a assustar quem tenta entrar ou sair do parque
Cães de grande porte estão a assustar quem tenta entrar ou sair do parque
Cães de grande porte estão a assustar quem tenta entrar ou sair do parque
Cães de grande porte estão a assustar quem tenta entrar ou sair do parque
Cães de grande porte estão a assustar quem tenta entrar ou sair do parque
Cães de grande porte estão a assustar quem tenta entrar ou sair do parque
Cães de grande porte estão a assustar quem tenta entrar ou sair do parque
Cães de grande porte estão a assustar quem tenta entrar ou sair do parque
Cães de grande porte estão a assustar quem tenta entrar ou sair do parque
Cães de grande porte estão a assustar quem tenta entrar ou sair do parque
Cães de grande porte estão a assustar quem tenta entrar ou sair do parque
São três as matilhas identificadas pela Câmara Municipal de Sintra que estão a assustar quem por elas passa. Uma das matilhas, com cerca de 10 cães, já atacou algumas pessoas na zona da Quinta de Beloura, segundo relatos de que o CM tem conhecimento.

O CM contactou o vereador Eduardo Quinta Nova, que revelou que esta não será a única matilha a ser capturada e que este processo só começou agora pois o canil "não tinha capacidade". 

A Câmara de Sintra afirmou em comunicado que a partir desta segunda-feira começaram a decorrer "trabalhos de captura dos canídeos da denominada ‘Matilha da Beloura’" com o objetivo de salvaguardar o bem-estar e a segurança das pessoas, bens e animais.

"Não tinhamos condições, tivemos de criar espaços transitórios e criar dispositivos. A tarefa não era fácil", explicou Eduardo Quinta Nova. 

Segundo o vereador, foi criado um dispositivo à medida, em metal, e nessa armadilha os cuidadores dos animais passarão a colocar comida e água para os animais nos próximos dias. Uma vez "habituados" a irem buscar comida dentro da armadilha, o dispositivo fechar-se-à e os cuidadores do canil de Sintra levarão os animais, com a ajuda de tranquilizantes, para um espaço criado no canil para que estejam todos juntos e afastados dos outros animais. 

O mesmo sucederá com as matilhas da Praia Grande e Massamá Norte, as outras duas identificadas pela autarquia. 

"Foram criados três espaços para estas matilhas", afirma, salientando que seria imprudente juntar estas matilhas com outros animais porque os atacariam.  

O vereador afirma que já tinha conhecimento destas matilhas desde novembro, quando tomou posse, mas que só agora houve relatos de que seriam perigosas. 

Após estarem no espaço temporário do canil, os animais serão retirados em trios e treinados para posteriormente poderem ser adotados. 


Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)