Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
5

“Cuspia e dava-me murros”, diz vítima de violência doméstica em Amarante

Mulher sofria agressões há 22 anos.
Nelson Rodrigues 12 de Julho de 2018 às 08:35
Mulher responde no Tribunal de Penafiel
Mulher responde no Tribunal de Penafiel FOTO: Direitos Reservados
Durante mais de uma hora, a vítima contou ao coletivo de juízes do tribunal de Penafiel o terror que viveu às mãos do marido nos 22 anos de casamento na casa em que viviam, em Amarante.

"Foi sempre muito violento. Sempre me tratou mal. Quando estava grávida, deu-me um pontapé na barriga. Cuspia-me na cara, dava-me bofetadas na cara e murros na cabeça. Também me chegou a dar pontapés e a apontar uma arma durante a gravidez", referiu.

Também os três filhos do casal, duas raparigas gémeas e o filho, na altura menor, foram agredidos pelo homem que responde por violência doméstica, ofensas à integridade física qualificada, ameaça e posse de arma.

"Apontou-me uma arma à cabeça e disse que me matava", descreveu o filho.
Penafiel Amarante questões sociais violência doméstica
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)