Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
3

Empresa de estofos destruída por incêndio em Paredes

Parte da produção da fábrica ficou destruída.
Ana Silva Monteiro e Aureliana Gomes 28 de Abril de 2019 às 01:30
Empresa de estofos destruída por incêndio em Paredes
Chamas consomem fábrica de estofos em Paredes
Chamas consomem fábrica de estofos em Paredes
Chamas consomem fábrica de estofos em Paredes
Chamas consomem fábrica de estofos em Paredes
Chamas consomem fábrica de estofos em Paredes
Chamas consomem fábrica de estofos em Paredes
Empresa de estofos destruída por incêndio em Paredes
Chamas consomem fábrica de estofos em Paredes
Chamas consomem fábrica de estofos em Paredes
Chamas consomem fábrica de estofos em Paredes
Chamas consomem fábrica de estofos em Paredes
Chamas consomem fábrica de estofos em Paredes
Chamas consomem fábrica de estofos em Paredes
Empresa de estofos destruída por incêndio em Paredes
Chamas consomem fábrica de estofos em Paredes
Chamas consomem fábrica de estofos em Paredes
Chamas consomem fábrica de estofos em Paredes
Chamas consomem fábrica de estofos em Paredes
Chamas consomem fábrica de estofos em Paredes
Chamas consomem fábrica de estofos em Paredes
Um incêndio de grandes dimensões destruiu este sábado à tarde a fábrica Suffa, que produz estofos, em Lordelo, Paredes.

As chamas começaram num armazém da empresa e rapidamente alastraram a outras áreas. Na fábrica trabalham cerca de 60 pessoas, que agora ficam com os seus postos de trabalho em risco. O dono da empresa sentiu-se indisposto e foi hospitalizado.

O alerta chegou aos bombeiros pelas 15h00. Para o local seguiram 115 operacionais de várias corporações.

"Aquilo que se percebe é que a fábrica ficou quase totalmente destruída na parte da produção. Os prejuízos serão certamente enormes. Uma empresa destas terá de levar algum tempo para voltar a estar de pé", sublinhou Nuno Serra, presidente da Junta de Freguesia de Lordelo.

Durante a manhã, a fábrica esteve aberta para trabalhos, mas na altura em que as chamas deflagraram ninguém se encontrava no edifício.

"De início ouvimos duas explosões. Isto é uma grande perda para a freguesia", explicou José Alves, que vive perto da empresa Suffa.

O proprietário da fábrica de estofos sentiu-se indisposto e teve de ser transportado para o hospital. "É um homem que vive esta empresa de noite e de dia, tal como os filhos e os funcionários. Mas sabemos que agora está tudo bem com ele", explicou Nuno Serra.

As causas do incêndio estão agora a ser investigadas.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)