Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
8

Ex-seguranças do Urban Beach com penas de cinco anos por tentativa de homicídio

Arguidos terão ainda de pagar 20 250 euros às vítimas.
João Carlos Rodrigues e Catarina Batalha 8 de Junho de 2019 às 10:50
A carregar o vídeo ...
Os três homens conheceram a decisão do tribunal.
"Não mostraram arrependimento nem juízo crítico", "não gostaram de ser desafiados", "deram versões falsas com o objetivo de ludibriar o tribunal para justificar as suas condutas absurdas"e tiveram "uma atuação criminosa".

Por estes motivos, elencados pela juíza-presidente do coletivo que julgou os três seguranças da discoteca Urban Beach, em Lisboa, o ex-segurança Pedro Inverno foi esta sexta-feira condenado a 5 anos e meio de prisão, enquanto David Jardim e João Ramalhete levaram uma pena de 5 anos e 4 meses. Terão ainda de pagar uma indemnização de 20 250 euros às duas vítimas.

Em causa está a tentativa de homicídio de Magnusson Brandão e André Reis na madrugada de 1 de novembro de 2017 à porta da discoteca Urban Beach, cujo vídeo foi fundamental para perceber a violência da situação. De acordo com o acórdão, os três ex-seguranças "agrediram os ofendidos, admitindo a possibilidade de matar pelo mero prazer de ver o sofrimento das vítimas".

"Os factos são tão claramente graves que, neste momento, nada tenho a acrescentar", afirmou a juíza- -presidente Catarina Pires.

PORMENORES
"Envergonha a Justiça"
Pedro Nobre, advogado de Pedro Inverno, diz que a decisão "envergonha a Justiça". Edite Sousa, advogada de David Jardim, afirma que a decisão é "insensata, censurável e ilegal". Ambos, tal como José Carlos Cardoso, advogado de João Ramalhete, vão recorrer.

"Decisão justa"
As advogadas das vítimas, Linda Alagoinha e Sandra Cardoso, mostraram-se satisfeitas com a "boa decisão", classificando-a de "justa, face aos factos provados". Cada vítima pedia 50 mil euros de indemnização.
Ver comentários