Barra da Fuseta volta a assorear e impede pescadores de sair

Obra de 1,5 milhões de euros que ocorreu no último verão ficou desfeita num mês.
Por Tiago Griff|13.01.19

Depois de vários anos à espera da requalificação na barra da Fuseta, cujo assoreamento (acumulação de areias) impede os pescadores de saírem ou entrarem no porto de pesca enquanto a maré está vazia, o Ministério do Ambiente avançou finalmente com a obra no verão passado, com um investimento de quase 1,5 milhões de euros.

Após um trabalho de quatro meses, com uma draga a retirar areia da barra, bastou apenas um mês para as marés desfazerem toda a intervenção, para desespero dos pescadores e também da economia da localidade piscatória.

"Aqui há cerca de 60 barcos dedicados à pesca. São quase 200 pessoas que dependem desta atividade, para além da nossa lota que perde negócio porque as embarcações não podem ficar dependentes das limitações do canal para descarregar o pescado e vão para outras lotas", lamenta Humberto Gomes, da Associação de Pescadores da Fuseta.

Ele próprio tem o barco no porto de pesca de Olhão porque, devido à grande dimensão (12,5 metros de comprimento), não consegue navegar no troço da ria Formosa que liga o mar à Fuseta, por causa dos bancos de areia.

pub

pub

Ver todos os comentários
Para comentar tem de ser utilizador registado, se já é faça
Caso ainda não o seja, clique no link e registe-se em 30 segundos. Participe, a sua opinião é importante!