Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade
6

Papa admite que já pensou no momento da despedida

Francisco evocou o adeus do apóstolo Paulo antes de partir para Jerusalém e falou de si próprio.
Lusa 15 de Maio de 2018 às 17:47
Papa Francisco
Papa Francisco
Papa Francisco
Papa Francisco
Papa Francisco
Papa Francisco
Papa Francisco
Papa Francisco
Papa Francisco
O papa Francisco confessou esta terça-feira que já pensou no momento em que, como qualquer bispo, deva "despedir-se" dos seus fieis, durante a homilia da missa matutina na sua residência, a Casa de Santa Marta do Vaticano.

O assunto foi falado quando o papa abordava a despedida do apóstolo Paulo aos anciãos para ir a Jerusalém. "Quando leio isto penso em mim, porque sou bispo e devo despedir-me", disse, citado pelo canal de informação do Vaticano.

"Peço ao Senhor a graça de poder despedir-me assim. E no exame de consciência não sairei vencedor como Paulo (...) Mas o Senhor é bom, é misericordioso", disse.

E lembrou aos bispos que o seu dever é "proteger o rebanho" e não "trepar por uma carreira eclesiástica".

Numa entrevista em 2015, o papa argentino já tinha dito que tinha a sensação de que o seu papado seria breve, de "quatro ou cinco anos".

"Tenho a sensação de que o meu pontificado vai ser breve, quatro ou cinco anos. Dois já passaram", disse, explicando que era uma sensação "um pouco vaga", como a de alguém que se mentaliza que vai perder um jogo, para não se desiludir se perder e ficar contente se ganhar.

E sobre a renúncia do seu antecessor, Bento XVI, em 2013, disse que o papa abriu uma porta. "Penso que o que Bento XVI fez com muita coragem foi abrir a porta aos papas eméritos. Bento não deve ser considerado como uma exceção, mas como uma instituição", disse.
religião Bento XVI Senhor Jerusalém Paulo Casa de Santa Marta do Vaticano Vaticano Francisco
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)