Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade
7

Uma em cada quatro crianças são alvo de bullying em Portugal

Em quatro anos a percentagem de crianças que diz ser vítima subiu de 10 para 23 por cento.
Bernardo Esteves 24 de Fevereiro de 2019 às 06:00
Crianças e jovens
Criança
Criança
Crianças e jovens
Criança
Criança
Crianças e jovens
Criança
Criança
O fenómeno do bullying (atos de violência física ou psicológica repetidos contra determinada vítima) na internet está em crescimento entre as crianças e jovens em Portugal.

Quase uma em cada quatro crianças (23%) afirmou ter sido vítima de bullying no último ano, num inquérito realizado em 2018, quando em 2014 a percentagem era de apenas 10%.

O estudo ‘EU Kids Online’ inquiriu 1974 crianças e jovens, entre os 9 e os 17 anos, em 2018, tal como acontecera em 2010 e 2014. Os que admitem fazer bullying são agora 17%, valor que também duplicou face a 2010. Esta percentagem "cresce com a idade e é mais elevada entre rapazes do que entre raparigas", refere o estudo.

Para 29% dos inquiridos, o bullying ocorre com bastante ou muita frequência, tanto online como cara a cara. Mas a maioria considera que o bullying através de meios tecnológicos é mais frequente.

Segundo o estudo, coordenado em Portugal pela Universidade Nova de Lisboa, também mais do que duplicou a percentagem dos que afirmam terem-se sentido perturbados com a exposição a conteúdos negativos no último ano. A percentagem passou de 7% dos inquiridos em 2010 para 10% em 2014 e para 23% em 2018.

PORMENORES
Ciberbullying
"Uma em cada seis crianças e jovens que experienciaram ciberbullying (16%) teve de fazer coisas que não queria fazer", refere o documento.

22% não pedem ajuda
Quando há experiências negativas online, 22% não pedem ajuda. Os outros queixam-se aos amigos (42%), pais (33%), irmãos (13%) e professores (5%).

37% dos jovens viram imagens de sexo na ‘net’
O estudo refere que 37% dos jovens dos 9 aos 17 afirmaram ter visto imagens de cariz sexual na ‘net’ no último ano - mais os rapazes (44%) do que as raparigas (29%). Entre os 15 e 17 anos a percentagem sobe para 59%. Já na faixa etária entre os 9 e os 11 anos desce para 11%.

Pais publicam imagens sem perguntar aos filhos
Segundo o inquérito, 28% das crianças e jovens referem que os pais publicaram imagens ou textos sobre eles sem lhes perguntarem se estavam de acordo. Houve 14% de jovens que dizem ter pedido aos pais para retirar os conteúdos. Quase 20% das raparigas dos 13 aos 17 fizeram-no.
Portugal EU Kids Online Universidade Nova de Lisboa Ciberbullying questões sociais educação
Ver comentários