Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
3

Trump cede e baixa bandeira para McCain

Presidente dos EUA recusou durante dois dias prestar homenagem pública ao senador falecido.
Francisco J. Gonçalves 29 de Agosto de 2018 às 01:30
Donald Trump
Bandeira a meia haste na Casa Branca
John McCain
Donald Trump
Bandeira a meia haste na Casa Branca
John McCain
Donald Trump
Bandeira a meia haste na Casa Branca
John McCain
O presidente dos EUA, Donald Trump, prestou na noite de segunda-feira uma homenagem contrafeita ao falecido senador republicano John McCain. Após críticas duras do Congresso por ignorar o prestigiado senador, Trump recuou e ordenou que a bandeira dos EUA fosse recolocada a meia haste na Casa Branca e noutros edifícios públicos de Washington, onde tinha permanecido baixa durante somente um dia e meio.

McCain faleceu no sábado, vítima de cancro, mas só dois dias depois Trump fez uma declaração pública e voltou atrás na questão da bandeira, que regressara ao topo dos mastros ainda na segunda-feira. "Apesar dos nossos desacordos, respeito os serviços prestados pelo senador John McCain ao nosso país", afirmou Trump, acrescentando: "Assinei, em sua honra, uma proclamação para manter a bandeira a meia haste até ao seu funeral".

Antes desta homenagem, Trump, que há muito tinha uma relação tensa com McCain, limitara-se a enviar um tweet de condolências à família, no qual não reconhecia os anos de serviço do senador nem aludia ao que sofreu como militar detido e torturado durante a guerra do Vietname.

Numa carta de despedida de grande dignidade, McCain não refere Trump, mas algumas frases são críticas claras ao presidente. "Enfraquecemos a nossa grandeza quando confundimos patriotismo com rivalidades tribais", lê-se na carta, onde depois se alude à xenofobia de Trump: "Enfraquecemos o país quando nos escondemos atrás de muros em vez de os derrubarmos".

McCain será sepultado no domingo após cerimónia privada na capela da Academia Naval dos EUA, em Annapolis. Hoje fica em câmara-ardente no Capitólio do Arizona e na sexta-feira no Capitólio de Washington, sede do Congresso federal dos EUA, onde prestou serviço desde 1987.

PORMENORES
Mulher sucessora
Cindy McCain, mulher do falecido senador do Arizona, é vista como uma das favoritas a suceder-lhe no cargo. A nomeação será decidida pelo governador daquele estado, Doug Ducey, que já frisou que só a revelará após o funeral de John McCain.

"Devem ter cuidado"
Trump advertiu ontem a tecnológica Google e as redes sociais Twitter e Facebook de que "devem ter cuidado" ao navegarem "em águas muito agitadas". Sem grandes pormenores, o Presidente norte-americano disse que recebe "milhares e milhares de queixas" da população.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)