Atropelamento que matou irmã de Djaló foi intencional

Terá ocorrido por desacatos entre gangs rivais. Condutor está indiciado por 12 crimes.
15.09.18
GNR revela que atropelamento de irmã de Djaló foi intencional
O atropelamento que matou a irmã de Djaló e feriu outras cinco pessoas, nas festas da Moita, foi intencional. A GNR refere em comunicado que o condutor "avançou a alta velocidade por um arruamento de acesso às referidas festas, tendo embatido violentamente nas guardas de madeira de proteção, utilizadas para as largadas de touros, as quais não impediram que o veículo colidisse com as vítimas".

O suspeito, de 21 anos, ficou em prisão preventiva e está indiciado por doze crimes: um de condução perigosa; dez de homicídio qualificado na forma tentada e um de homicídio qualificado. A GNR referiu, à CMTV, que o crime terá ocorrido devido a desacatos entre grupos rivais.

Os "militares que estavam nas imediações, apercebendo-se que o indivíduo estava a iniciar a manobra de marcha atrás para se colocar em fuga, avançaram sobre o carro, conseguindo imobilizar a viatura e o seu condutor, evitando assim mais danos e vítimas", refere ainda a GNR no mesmo comunicado, acrescentando que "no local foi necessário efetuar um perímetro de segurança, no sentido de salvaguardar a integridade física do autor do atropelamento, manter a ordem pública e garantir a rápida assistência médica às vítimas."

pub

pub

Ver todos os comentários
Para comentar tem de ser utilizador registado, se já é faça
Caso ainda não o seja, clique no link e registe-se em 30 segundos. Participe, a sua opinião é importante!