Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
3

Juan Guaidó quer encontrar-se com Bolsonaro antes de regressar à Venezuela

Auto-proclamado presidente interino venezuelano deve chegar ao Brasil na noite desta quarta-feira.
Domingos Grilo Serrinha e correspondente no Brasil 27 de Fevereiro de 2019 às 19:02
Juan Guaidó
Juan Guaidó
Juan Guaidó
Presidente do Brasil, Jair Bolsonaro
Jair Bolsonaro
Juan Guaidó
Juan Guaidó
Juan Guaidó
Presidente do Brasil, Jair Bolsonaro
Jair Bolsonaro
Juan Guaidó
Juan Guaidó
Juan Guaidó
Presidente do Brasil, Jair Bolsonaro
Jair Bolsonaro

O auto-proclamado presidente interino da Venezuela, Juan Guaidó, líder da oposição ao ditador Nicolás Maduro e que desde o fim de semana se encontra na Colômbia, quer reunir-se com o presidente brasileiro, Jair Bolsonaro, antes de regressar a Caracas, na Venezuela. Guaidó deve chegar ao Brasil na noite desta quarta-feira e espera encontrar-se com Bolsonaro até sexta-feira.

Bolsonaro foi um dos primeiros chefes de Estado a reconhecer Guaidó como presidente interino da Venezuela, logo após o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, o ter feito. Guaidó hoje já é reconhecido pelos governos de 50 países, mas não detém o poder de facto, pois todos os núcleos do poder e, principalmente, as Forças Armadas, continuam a ser comandados por Maduro.

No Brasil, Guaidó vai discutir estratégias de ação e estreitar os laços com Bolsonaro e com o vice-presidente brasileiro, general Hamilton Mourão, que tem sido um dos mais ativos interlocutores nas negociações internacionais para tentar realizar uma troca de poder na Venezuela sem o derramamento de sangue. Guaidó já avançou até a possibilidade de, como presidente interino, pedir uma intervenção militar de países aliados na Venezuela para depor Maduro, hipótese também defendida por Trump mas rejeitada em reunião na segunda-feira por Mourão e pelos países que fazem parte do chamado Grupo de Lima, 14 nações do continente americano que querem a saída do ditador venezuelano mas sem o recurso às armas.

No fim de semana passado, Guaidó comandou a partir da Colômbia uma tentativa fracassada de forçar a entrada na Venezuela de camiões carregados com alimentos não perecíveis e medicamentos enviados pelos EUA. Nicolás Maduro, evidenciando que ainda tem o apoio dos militares, fechou as fronteiras com tropas e tanques e, recorrendo à violência, impediu a entrada dos camiões que estavam na Colômbia e também os que estavam no Brasil, onde ocorreu tentativa semelhante.

Para tentar impedir Guaidó de ir à Colômbia e comandar essa tentativa frustada, a justiça venezuelana, aliada de Maduro, proibiu o presidente interino de deixar a Venezuela, sob pena de prisão se o fizesse. Por isso, há a possibilidade de Guaidó ser preso ao regressar ao seu país, pelo menos de forma legal, mas pode ser que ele o tente fazer pelo meio da selva, na imensa linha fronteiriça de mais de 2200 km entre o Brasil e o seu país.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)