Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade
2

Câmara de Setúbal pede que MAI investigue acolhimento de refugiados ucranianos e afasta técnica superior

Funcionários russos, responsáveis pela Linha de Apoio aos Refugiados, terão fotocopiado documentos de imigrantes.
Correio da Manhã 29 de Abril de 2022 às 13:03
Edifício dos Paços do Concelho da Câmara Municipal de Setúbal
Edifício dos Paços do Concelho da Câmara Municipal de Setúbal FOTO: Rui Minderico

A Câmara Municipal de Setúbal reagiu esta sexta-feira à notícia avançada pelo jornal Expresso que dá conta de que refugiados ucranianos foram recebidos pela autarquia por simpatizantes pró-Kremlin.

Em comunicado, a autarquia revela que "irá solicitar ao Ministério da Administração Interna que adote, de imediato, os necessários procedimentos no sentido de averiguar a veracidade das suspeitas veiculada (...), manifestando total disponibilidade para prestar toda a informação necessária".

A autarquia, liderada por André Martins dos Verdes (CDU) tem em funcionamento, desde o início da guerra na Ucrânia, um serviço de atendimento a refugiados ucranianos para prestar o apoio ao acolhimento daqueles que fogem da guerra.

Os funcionários russos da Câmara, e que estão responsáveis pela Linha de Apoio aos Refugiados, terão fotocopiado documentos, entre eles passaportes e certidões, desses mesmos refugiados.

A autarquia retirou também do acolhimento de cidadãos ucranianos a técnica superior citada na notícia em causa até "ao total e inequívoco esclarecimento desta situação".

"A Câmara Municipal de Setúbal repudia com a veemência qualquer toda e qualquer insinuação de quebra de sigilo no tratamento de dados de cidadãos ucranianos acolhidos nos seus serviços", acrescenta ainda.

Partidos reagem e querem esclarecimentos do autarca
Os vários partidos reagiram já ao caso na autarquia. O PSD pediu uma investigação e rejeitou "que longa mão do KGB chegue a Setúbal". O PCP defendeu que o trabalho desenvolvido com imigrantes no município de Setúbal, liderado por um autarca eleito pela CDU, "caracteriza-se por critérios de integração", rejeitando exclusões ou "sentimentos xenófobos" no acolhimento a refugiados.

Quem é Igor Kashin?
De acordo com a Câmara Municipal de Setúbal, Igor Kashin "colabora, regularmente, há vários anos, com várias entidades da administração central, entre as quais o Instituto de Emprego e Formação Profissional, o Alto Comissariado para as Migrações e o Serviço de Estrangeiros e Fronteiras, tendo prestado esta colaboração já este ano, em instalações de alguns destes serviços em Setúbal, no contexto do acolhimento de refugiados da guerra da Ucrânia". Terá relações próximas com a embaixada russa e com o regime liderado por Vladimir Putin, escreve ainda o jornal Expresso.


Governo desmente Câmara de Setúbal
Num comunicado enviado às redações esta sexta-feira à tarde, o gabinete do primeiro-ministro desmente a autarquia do Sado, ao afirmar que "a carta que o Presidente da Câmara Municipal de Setúbal dirigiu ao Primeiro-Ministro no passado dia 11/04/22 é um protesto sobre declarações prestadas pela Embaixadora da Ucrânia em Lisboa, à CNN, e foi reencaminhada para os efeitos tidos por convenientes para o MNE".

O Executivo explica ainda que "na referida carta não é solicitada qualquer informação sobre a Associação EDINSTVO, nem sobre o cidadão Igor Khashin."

Em causa está uma carta enviada pela autarquia ao primeiro-ministro, António Costa, a criticar as declarações da embaixadora da Ucrânia em Portugal, proferidas numa entrevista à CNN, sobre a associação liderada por Igor Khashin, onde acusa o organismo de poder estar a colaborar com os serviços secretos russos ao passar informação.

A autarquia pediu ao Governo que se pronunciasse sobre as declarações em causa e sobre a confiança do Alto Comissariado para as Migrações nesta associação.

Ver comentários
}