Barra Cofina

Correio da Manhã

Tv Media
6

Luta contra trabalho precário na RTP vai continuar

Grupo de precários recorda os 260 colaboradores que continuam em situação instável.
Sónia Dias 24 de Novembro de 2018 às 01:30
Trabalhadores precários juntaram-se frente à RTP para protestar contra as condições de trabalho
Trabalhadores precários juntaram-se frente à RTP para protestar contra as condições de trabalho
Trabalhadores precários juntaram-se frente à RTP para protestar contra as condições de trabalho
Trabalhadores precários juntaram-se frente à RTP para protestar contra as condições de trabalho
Trabalhadores precários juntaram-se frente à RTP para protestar contra as condições de trabalho
Trabalhadores precários juntaram-se frente à RTP para protestar contra as condições de trabalho
Trabalhadores precários juntaram-se frente à RTP para protestar contra as condições de trabalho
Trabalhadores precários juntaram-se frente à RTP para protestar contra as condições de trabalho
Trabalhadores precários juntaram-se frente à RTP para protestar contra as condições de trabalho
Trabalhadores precários juntaram-se frente à RTP para protestar contra as condições de trabalho
Trabalhadores precários juntaram-se frente à RTP para protestar contra as condições de trabalho
Trabalhadores precários juntaram-se frente à RTP para protestar contra as condições de trabalho
Trabalhadores precários juntaram-se frente à RTP para protestar contra as condições de trabalho
Trabalhadores precários juntaram-se frente à RTP para protestar contra as condições de trabalho
Trabalhadores precários juntaram-se frente à RTP para protestar contra as condições de trabalho
Trabalhadores precários juntaram-se frente à RTP para protestar contra as condições de trabalho
Trabalhadores precários juntaram-se frente à RTP para protestar contra as condições de trabalho
Trabalhadores precários juntaram-se frente à RTP para protestar contra as condições de trabalho
Trabalhadores precários juntaram-se frente à RTP para protestar contra as condições de trabalho
Trabalhadores precários juntaram-se frente à RTP para protestar contra as condições de trabalho
Trabalhadores precários juntaram-se frente à RTP para protestar contra as condições de trabalho
Trabalhadores precários juntaram-se frente à RTP para protestar contra as condições de trabalho
Trabalhadores precários juntaram-se frente à RTP para protestar contra as condições de trabalho
Trabalhadores precários juntaram-se frente à RTP para protestar contra as condições de trabalho
Trabalhadores precários juntaram-se frente à RTP para protestar contra as condições de trabalho
Trabalhadores precários juntaram-se frente à RTP para protestar contra as condições de trabalho
Trabalhadores precários juntaram-se frente à RTP para protestar contra as condições de trabalho
A integração de 130 trabalhadores precários nos quadros da RTP não é suficiente para acalmar os ânimos na estação pública, em que ainda existem mais de duas centenas em condições instáveis.

Esta sexta-feira, em comunicado, o grupo de precários aplaudiu a "intenção manifestada" pela administração da RTP de integrar 130 "falsos recibos verdes", no âmbito do Programa de Regularização Extraordinária dos Vínculos Precários na Administração Pública (PREVPAP), mas recordou que "apenas um terço de justiça fica feita".

"O processo de integração de falsos recibos verdes da RTP está ainda longe de terminar", lê-se no comunicado. O grupo de precários esclarece ainda que existem "outros 260 trabalhadores nestas condições", que receberam parecer negativo por parte da CAB - Comissão de Avaliação Bipartida do PREVPAP, "um parecer baseado apenas nas informações fornecidas pelo conselho de administração da RTP".

Explica ainda que parte destes trabalhadores "já enviou o recurso em relação aos seus pareceres negativos" e que existem ainda precários "que entraram na empresa já depois do PREVPAP - alguns para substituir outros (inscritos no programa) que viram as horas de trabalho e remuneração reduzidas - para os quais a incerteza sobre o futuro é ainda maior". Após o protesto frente à estação pública, o grupo de precários diz que não vai abdicar de lutar pela igualdade de direitos e pela legalidade.
Ver comentários