Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo

"Só os mais corajosos conseguem fazer a paz", assegura Trump

Presidentes dos EUA e Coreia do Norte assinaram acordo histórico para a desnuclearização da península coreana.
José Carlos Marques e Daniela Espírito Santo 11 de Junho de 2018 às 19:21
Kim Jong-un e Donald Trump
A primeira imagem do histórico documento assinado por Kim Jong-un e Donald Trump
Kim Jong-un abandona cimeira
Kim Jong-un e Donald Trump
Trump cumprimenta Kim Jong-un
Kim Jong-un e Donald Trump cumprimentam-se em Singapura
Kim Jong-un e Donald Trump cumprimentam-se em Singapura
Kim Jong-un e Donald Trump cumprimentam-se em Singapura
Últimos preparativos da cimeira EUA - Coreia do Norte, em Singapura
A comitiva de Kim Jong-un a caminho da cimeira em Singapura
O carro que leva Donald Trump para a cimeira com Kim Jong-un
Polícia vigia o Capella Hotel, onde vai decorrer o encontro entre Donald Trump e Kim Jong-un, em Singapura
Polícia no Capella Hotel, onde vai decorrer o encontro entre Donald Trump e Kim Jong-un, em Singapura
Kim Jong-un
Donald Trump
O Capella Hotel, onde vai decorrer o encontro entre Donald Trump e Kim Jong-un, em Singapura
O Capella Hotel, onde vai decorrer o encontro entre Donald Trump e Kim Jong-un, em Singapura
O Capella Hotel, onde vai decorrer o encontro entre Donald Trump e Kim Jong-un, em Singapura
O Capella Hotel, onde vai decorrer o encontro entre Donald Trump e Kim Jong-un, em Singapura
Donald Trump com o primeiro-ministro de Singapura Lee Hsien Loong
Kim Jong-un passeou como um turista por Singapura
Kim Jong-un passeou como um turista por Singapura
Donald Trump apaga as velas de bolo de aniversário oferecido em Singapura
Kim Jong-un e Donald Trump
A primeira imagem do histórico documento assinado por Kim Jong-un e Donald Trump
Kim Jong-un abandona cimeira
Kim Jong-un e Donald Trump
Trump cumprimenta Kim Jong-un
Kim Jong-un e Donald Trump cumprimentam-se em Singapura
Kim Jong-un e Donald Trump cumprimentam-se em Singapura
Kim Jong-un e Donald Trump cumprimentam-se em Singapura
Últimos preparativos da cimeira EUA - Coreia do Norte, em Singapura
A comitiva de Kim Jong-un a caminho da cimeira em Singapura
O carro que leva Donald Trump para a cimeira com Kim Jong-un
Polícia vigia o Capella Hotel, onde vai decorrer o encontro entre Donald Trump e Kim Jong-un, em Singapura
Polícia no Capella Hotel, onde vai decorrer o encontro entre Donald Trump e Kim Jong-un, em Singapura
Kim Jong-un
Donald Trump
O Capella Hotel, onde vai decorrer o encontro entre Donald Trump e Kim Jong-un, em Singapura
O Capella Hotel, onde vai decorrer o encontro entre Donald Trump e Kim Jong-un, em Singapura
O Capella Hotel, onde vai decorrer o encontro entre Donald Trump e Kim Jong-un, em Singapura
O Capella Hotel, onde vai decorrer o encontro entre Donald Trump e Kim Jong-un, em Singapura
Donald Trump com o primeiro-ministro de Singapura Lee Hsien Loong
Kim Jong-un passeou como um turista por Singapura
Kim Jong-un passeou como um turista por Singapura
Donald Trump apaga as velas de bolo de aniversário oferecido em Singapura
Kim Jong-un e Donald Trump
A primeira imagem do histórico documento assinado por Kim Jong-un e Donald Trump
Kim Jong-un abandona cimeira
Kim Jong-un e Donald Trump
Trump cumprimenta Kim Jong-un
Kim Jong-un e Donald Trump cumprimentam-se em Singapura
Kim Jong-un e Donald Trump cumprimentam-se em Singapura
Kim Jong-un e Donald Trump cumprimentam-se em Singapura
Últimos preparativos da cimeira EUA - Coreia do Norte, em Singapura
A comitiva de Kim Jong-un a caminho da cimeira em Singapura
O carro que leva Donald Trump para a cimeira com Kim Jong-un
Polícia vigia o Capella Hotel, onde vai decorrer o encontro entre Donald Trump e Kim Jong-un, em Singapura
Polícia no Capella Hotel, onde vai decorrer o encontro entre Donald Trump e Kim Jong-un, em Singapura
Kim Jong-un
Donald Trump
O Capella Hotel, onde vai decorrer o encontro entre Donald Trump e Kim Jong-un, em Singapura
O Capella Hotel, onde vai decorrer o encontro entre Donald Trump e Kim Jong-un, em Singapura
O Capella Hotel, onde vai decorrer o encontro entre Donald Trump e Kim Jong-un, em Singapura
O Capella Hotel, onde vai decorrer o encontro entre Donald Trump e Kim Jong-un, em Singapura
Donald Trump com o primeiro-ministro de Singapura Lee Hsien Loong
Kim Jong-un passeou como um turista por Singapura
Kim Jong-un passeou como um turista por Singapura
Donald Trump apaga as velas de bolo de aniversário oferecido em Singapura
Kim Jong-un e Donald Trump estiveram reunidos esta terça-feira em Singapura, numa cimeira histórica. Os líderes da Coreia do Norte e dos Estados Unidos da América tinham como principais pontos na agenda a renúncia dos asiáticos ao armamento nuclear e o estabelecimento de um acordo de paz para a península da Coreia, encerrando um conflito que começou com a guerra de 1950-53. A cimeira decorreu no Capella Hotel, em Singapura, e durou largas horas.

Os dois líderes reuniram-se a sós durante 41 minutos, e começou depois uma negociação mais alargada das duas comitivas, com um almoço pelo meio. 

No final, assinaram um acordo com quatro pontos, em que os dois países se comprometem a garantir a paz e segurança na península coreana, com a desnuclearização da Coreia do Norte e o retorno aos EUA dos restos mortais dos combatentes norte-americanos da guerra da Coreia. 




09h52 -
Trump justifica pose que tomou durante a icónica fotografia onde aparece com Angela Merkel e restantes líderes do G7: diz que estava à espera de uma cópia de um documento de acordo que pediu para ser alterado. "Há muitos acordos comerciais que são muito injustos para os nossos agricultores e trabalhadores", diz. 

09h50 -
Falando sobre o Canadá, Trump volta a dizer que está a taxar produtos canadianos para conseguir um balanço mais justo do que o que está a acontecer agora. 

09h48 - O Presidente dos EUA continua a dizer que pouco fez para além de se encontrar com Kim, mas garante que poderá ter evitado uma catástrofe com a sua célebre ameaça à Coreia do Norte. "Na altura precisávamos de fúria e fogo", diz. 

09h46 - Donald Trump quer que ambos os países passem a ter embaixadas nos territórios um do outro muito rapidamente. 

09h40 - "Não dormi nas últimas 25 horas", confessa Trump, que acredita que o esforço valeu a pena porque o encontro "foi positivo". 

09h39 - Trump acredita que ainda é cedo para fazer um acordo similar com o Irão, mas espera que tal aconteça no futuro. 

09h36 - "Deixará de haver sanções quando tivermos a certeza de que já não há risco nuclear", reitera Trump. 

09h32 - Donald Trump assegura que quer ir a Pyongyang num futuro próximo, garantindo que também irá convidar Kim a visitar os EUA. 

09h31 - "Ele é muito esperto e um bom negociador. Estou convencido de que ele quer realmente fazer coisas", volta a frisar Trump a falar de Kim Jong-un, a tentar convencer o Mundo das boas intenções norte-coreanas. 

09h29 - O processo de entrega dos restos mortais de antigos combatentes vai começar já hoje, admite o Presidente dos EUA. 

09h27 - O líder da Coreia do Norte quer, tanto ou mais que os EUA, que este processo corra bem, diz Donald Trump, ao responder a uma pergunta sobre os esquemas coreanos do passado para escapar ao controlo do Mundo. O Presidente norte-americano acredita que Kim Jong-un está realmente apostado em cumprir com o acordado. 

09h23 - Donald Trump responde a perguntas dos jornalistas e volta a frisar que Otto Warmbier, o estudante norte-americano que sofreu danos cerebrais enquanto estava sob custódia da Coreia do Norte e acabou por morrer, "não morreu em vão" e acabou por ser uma das razões para a realização desta cimeira. 

09h22 - Donald Trump fala do sonho de uma Coreia unida. "Isto é possível, está ao nosso alcance", diz, mas assegura que as sanções à Coreia do Norte se vão manter enquanto Kim Jong-un não cumprir com a sua parte. 

09h20 - A Coreia do Norte já está a destruir uma zona de testes de mísseis como demonstração do seu compromisso com o documento. Uma novidade face ao texto que, afirma Trump, foi acordada já depois da assinatura do documento histórico. 

"Só os mais corajosos é que conseguem fazer a paz", assegura Trump. 

09h18 - "A mudança é, de facto, possível. A minha reunião com o Kim Jong-un foi honesta, direta e produtiva. Estamos preparados para escrever um novo capítulo para as nossas nações", garante Trump, recordando a Guerra da Coreia. "O passado não tem de definir o futuro", assegura. "Adversários podem tornar-se amigos. Podemos trocar os horrores da batalha por uma mensagem de paz". 

09h16 - Trump diz que Kim Jong-un " percebe o que aconteceu e quer fazer a coisa certa". "Passamos muitas horas juntos", adianta, antes de dizer que fala ao mundo como um "emissário dos EUA com uma mensagem de esperança, visão e paz". 

09h15 - Donald Trump já está a dar conferência de imprensa. Diz que cimeira foi o culminar de "três meses de muito trabalho". 

07h53 - Surge na Internet uma primeira fotografia em que se pode ver claramente o documento assinado por Trump e Kim.




07h30 - Começam a ser conhecidos detalhes do documento assinado pelos EUA e Coreia do Norte. A imprensa internacional avança que Kim Jong-un assumiu o compromisso de "desnuclearização total" da península coreana, enquanto que Donald Trump deu "garantias de segurança" à Coreia do Norte. 


07h17 -
Uma imagem partilhada pela Sky News mostra Kim Jong-un a abandonar o local. 


07h15 - Parece que algo se passou nos últimos momentos desta cimeira. Kim Jong-un e Donald Trump mudaram de direção no último momento e abandonaram o hotel em direções opostas. A imprensa internacional teme algum problema de última hora com o documento que ambos deveriam ter assinado. O mundo aguarda. 

07h12 - "O mundo vai ver uma grande mudança", diz Kim Jong-un nos documentos que assinou juntamente com Donald Trump. Fala-se em desnuclearização, mas não sabe sabe para quando.




07h07 - Kim Jong-un já abandonou o hotel onde decorreu a cimeira. Os jornalistas internacionais estão a ser encaminhados para outro local onde deverá acontecer uma conferência de imprensa. 

07h06 - Donald Trump assegura que vai convidar Kim Jong-un para ir aos EUA num futuro próximo. 

07h00 - O presidente dos EUA, Donald Trump, e o líder da Coreia do Norte, Kim Jong-Un, garantem ter criado um "documento histórico". Apesar dos elogios de ambos os países, o conteúdo do documento ainda não foi tornado público. Para ambos, trata-se de um acordo "muito importante" que dará origem a uma "grande mudança". 

"Este é um documento muito importante. Houve muito trabalho e boa vontade de ambos os lados. A nossa relação com a península coreana vai ser muito diferente daqui para a frente. Este encontro correu muito melhor do que estávamos à espera", disse Trump, uma conferência de imprensa conjunta, depois da reunião. Opinião secundada pelo líder do regime de Pyongyang, que deixou uma palavra especial ao homólogo. "Agradeço ao presidente Trump por possibilitar a realização desta reunião", disse Kim Jong-Un, dando a sua perspetiva do encontro: "Tivemos uma reunião histórica e decidimos deixar o passado para trás. O mundo vai testemunhar uma grande mudança".

5h05 (12h05 em Singapura) Um comunicado da Casa Branca dá conta de que "as negociações entre os Estados Unidos e a Coreia do Norte estão a decorrer e têm sido resolvidas mais rapidamente que o esperado", dando a entender que o encontro vai terminar após o "almoço de trabalho" que já decorre. Trump tem marcada uma conferência de imprensa às 16h00 locais e deverá partir para os EUA às 20h00 (13h00 de Portugal). 

Os críticos dizem que o ritmo acelerado da cimeira não permite que algo de substancial seja acordado.



4h44 -
Os media locais dizem que começou o almoço. No menu estão pratos de camarão, couve em pickle coreana, porco doce e salgado, costeletas de vaca confitadas ou "Daegu Jorim", uma receita tradicioanl coreana de bacalhau braseado com soja, avança a CBS

4h40 - 
As delegações dos dois países estão reunidas há duas horas. A equipa de Trump incluiu o secretário de Estado Mark Pompeo, o chefe de gabinete John Kelly, o conselheiro de segurança nacional John Bolton, a secretária de imprensa Sarah Sanders, o embaixador americano nas Filipinas, Sung Kin e o conselheiro para os assuntos asiáticos, Matthew Pottinger.

Do lado coreano, Kim Jong-un faz se acompanhar por Kim Yong Chol e Ri Su Yong, ambos vice-presidentes do comité  central do Partido dos Trabalhadores, Ri Yong Ho, ministro dos Negócios Estrangeiros, No Kwang Chol, ministro da Defesa, Choe Son Hui, vice-ministro dos Negóciso Estrangeiros e Kim Yo Jong, irmã do presidente e diretora do comité central do Partido dos Trabalhadores.

4h08 (11h03 em Singapura) -
Os EUA terão oferecido à Coreia do Norte "condições únicas de segurança" em troca de esta abandonar o seu programa de armamento nuclear.

4h03  - 
Moon Jae-in, presidente da Coreia do Sul, acompanhou atentamente o início da cimeira pela televisão. "Mal consegui dormir na noite passada. Espero, sinceramente, tal como o povo da Coreia do Sul, que a reunião de hoje seja bem sucedida e que abra uma nova era das relações entre os EUA e as duas Coreias e que traga a completa desnuclearização e a paz", disse aos jornalistas.

3h50  -
Os mercados asiáticos reagiram à cimeira de Singapura positivamente, com as bolsas a registar variações positivas na abertura. O dólar também está em rota de valorização

3h30 - 
KarenLeong, especialista em linguagem corporal, analisa para a Reuters o comportamento dos dois estadistas ao encontrarem-se pela primeira vez. "O aperto de mãos pareceu ser entre pares. Trump parecia muito consciente disso e percebeu-se que ele queria elevar o patamar e mostrar que é ele o líder". No entanto, ambos mostraram nervosismo no momento posterior, quando apareceram sentados perante os jornalistas. Trump mexia as mãos desordenadamente e Kim olhava fixamente para o chão. Outro especialista vai mais longe diz que a atitude de Donald Trump mostrou "desespero". 

3h10 -
A imprensa americana destaca a presença de John Bolton na mesa das negociações. A sua participação é uma surpresa devido aos anticorpos que o conselheiro de segurança nacional provocou nos norte-coreanos. Bolton comparou o processo de desnuclearização da Coreia com o destino do líder líbio Muhammar Kadhafi, que renunciou ao nuclear para acabar deposto e assassinado na rua, após meses de combates sangrentos contra os líderes da rebelião que tomou conta do país africano. 

2h55 (9h55 em Singapura)-
As duas comitivas sentam-se à mesa das negociações, com os presidentes rodeados dos seus conselheiros. Na presença dos jornalistas, os líderes da Coreia do Norte e dos EUA trocam cumprimentos e falam de paz e de acordos. Trump diz a Kim Jong-un: "Estou cheio de vontade de trabalhar consigo".

2h50 -
Trump e Kim Jong-un saem juntos da sala onde se reuniram a sós e dirigem-se para outra ala do hotel, acompanhados dos seus intérpretes. Líderes cumprimentam brevemente os repórteres e seguem caminho pelo alpendre do edifício.

2h35 - Dennis Rodman, o antigo basquetebolista que é amigo de Trump e de Kim Jong-un dá uma entrevista emocionada à CNN. A antiga estrela da NBA não contém as lágrimas ao falar de um "encontro histórico" e desfaz-se em elogios a Trump. Rodman chegou a Singapura horas antes da cimeira.

2h20 -
Líderes dos dois países começam a reunião no hotel Chappel.

2h15 - 
O jornal de Singapura Straits Times traduz o breve diálogo inicial entre Trump e Kim Jong-un. Trump falou primeiro: "Vai ser uma grande conversa e julgo que teremos um sucesso tremendo. Teremos uma relação formidável, não tenho dúvidas". O presidente coreano diz que "o caminho para a cimeira não foi fácil. O passado colocou muitos obstáculos no nosso caminho, mas ultrapassámos todos e estamos aqui hoje." 



2h09 - Os dois presidentes posam para os fotógrafos e voltam a  trocar cumprimentos sentados num banco do hotel Cappela. Trump diz algumas palavras de circunstância aos presentes, Kim Jong-un permanece mais recatado.

2h04 - Trump e Kim Jong-un cumprimentam-se.
Líderes apertam as mão com as bandeiras dos dois países em fundo. Numa cuidada coreografia, cada um deles aparece de um corredor do hotel para se encontrarem a meio, no cenário onde foram colocadas as bandeiras. A televisão mostra-os, depois,  a caminhar juntos para a sala onde se vão reunir.

1h59
(8h59 em Singapura)Trump chega ao edifício onde vai decorrer a cimeira. O presidente americano entra em passo apressado.

1h53
(8h53 em Singapura) - Kim Jong-un entra no edifício onde vai decorrer a cimeira. Líder coreano mostra-se de semblante fechado, contrastando com os sorrisos que mostrou horas antes, ao caminhar pelas ruas de Singapura.

1h50 - Larry Kudlow, chefe dos conselheiros económicos de Trump, sofreu um ataque cardíaco em Washington. O próprio presidente dá a notícia e deseja-lhe rápidas memórias através do Twitter.


1h32 (8h32 em Singapura) - Kim Jong-un chega ao resort Chappel. Líderes deverão apertar as mãos dentro de meia hora.

1h25 (8h25 em Singapura) Trump é o primeiro a chegar ao hotel onde vai decorrer o encontro.

1h18 (8h18 em Singapura) - Kim Jong-un deixa o hotel integrado num longo cortejo de carros civis e policiais. Na frente da comitiva, cerca de 20 motos abrem caminho ao líder norte-coreano.

1h15 (8h15 em Singapura) - O presidente Trump está a caminho da ilha de Sentosa. Comitiva com dezenas de veículo faz parar o trânsito.

1h10 (8h10 em Singapura) - Uma longa fila de carros está parada à porta do hotel St. Regis, onde está alojado Kim Jong-un, presidente da Coreia do Norte. Elementos da segurança preparam saída do líder. A poucos quilómetros dali, Donald Trump também está prestes a deixar o hotel Shagri-La.

1h00 (8h00 em Singapura) - O dispositivo policial montado em volta do hotel Cappela, na ilha de Sentosa, toma posição para o que se segue. Centenas de agentes fortemente armados rodeiam o resort de luxo onde vai acontecer o encontro. O acesso à ilha pode fazer-se através de uma ponte ou de um túnel.

22h40 (5h40 em Singapura) Numa segunda mensagem publicada na rede social, Trump desanca os que o criticaram por aceitar reunir-se com Kim Jong-un. "O facto de eu estar a fazer este encontro é uma grande perda para os EUA, dizem os odiosos e os perdedores. Temos os nossos reféns, os testes, desenvolvimentos e todos os lançamentos de mísseis pararam e estes líderes de opinião, que me criticaram desde o início, não têm mais nada para dizer! Ficaremos bem".


 

The fact that I am having a meeting is a major loss for the U.S., say the haters & losers. We have our hostages, testing, research and all missle launches have stoped, and these pundits, who have called me wrong from the beginning, have nothing else they can say! We will be fine!

22h30 (5h30 em Singapura) Donald Trump publicou uma mensagem no Twitter, escassas horas antes da cimeira, prevista para as 9h00. O presidente americano mostra-se confiante, mas admite que possa não haver resultados . "As reuniões entre as equipas estão a correr bem e depressa... mas no final, isso não interessa. Saberemos todos em breve se haverá ou não se um verdadeiro acordo, não como os do passado, pode acontecer!"




19h00 (2h00 em Singapura) - O jornal Straits Times dá conta de uma entrevista de Lee Hsien Loong, primeiro ministro de Singapura, sobre a cimeira. "O lider da Coreia do Norte quer abrir um novo caminho, e é por isso que se encontra com Donald Trump"

18h00 (1h00 de terça-feira em Singapura) - O antigo basquetebolista americano Dennis Rodman aterrou em Singapura. Apesar de não ter, oficialmente, qualquer papel nas negociações, o antigo jogador dos Chicago Bulls é um dos raros homens do planeta que se pode gabar de ser amigo pessoal dos dois líderes, Trump e Kim Jong-un.

17h00 - O secretário-Geral das Nações Unidas, o português António Guterres, recorreu ao Twitter para saudar o encontro. "Desejo o melhor aos líderes dos EUA e da Coreia do Norte, quando começaram as conversações em Singapura. A paz e a desnuclearização verificável na península coreana devem continuar a ser um objetivo claro e partilhado. A ONU está preparada para apoiar este processo de qualquer forma solicitada pelas partes.

14h00 - O secretário do Departamento de Estado americano, Mike Pompeo deu uma conferência de imprensa em Singapura, dando conta de que Trump está "mais do que preparado" para a cimeira. "O objetivo último que pretendemos da diplomacia com a Coreia do Norte não mudou. A completa, verificável e irreversível desnuclearização da Península da Coreia é o único resultado que os Estados Unidos vão aceitar", acrescenta Pompeo.




14h00
- Bill Perry, antigo secretário de Estado da Defesa dos EUA diz à Reuters que espera três sinais da cimeira de Singapura. O primeiro, é o de que os dois líderes, conhecidos pela sua impetuosidade, se mantenham controlados. "Consigo imaginar uma situação em que ambos os líderes saem num acesso de fúria, por isso a conversa tem de ter um tom cordial", diz Perry. O antigo governante espera ainda que sejam anunciados princípios que demononstrem o caminho para uma Coreia livre de armas nucleares e que sejam acordados passos concretos nesse sentido

11h00 (21h00 em Singapura)  - Num gesto surpreendente, Kim Jong-un saiu à rua e passeou pelas ruas de Singapura, visitando vários pontos de atração turística. O líder coreano foi visto a entrar num dos mais luxuosos casinos locais.

5h40  (12h40 em Singapura) - Donald Trump e a sua comitiva almoçaram com o primeiro-ministro de Singapura, Lee Hsien Loong. O presidente americano agradeceu a "hospitalidade, o profissionalismo e a amizade" do governante do pequeno país onde vai decorrer a cimeira. O líder americano acredita que "vai tudo correr bem".

Momento alto do almoço foi um bolo de aniversário oferecido a Trump. O presidente americano faz 72 anos na quinta-feira, mas soprou as velas antecipadamente. 




























Kim Jong-un Lisboa Donald Trump Capella Hotel cimeira paz nuclear singapura dennis rodman
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)