ONU preocupada com violência eleitoral no Brasil

Apoiantes de Bolsonaro acusados de atacarem mulheres, homossexuais e rivais políticos.
As Nações Unidas manifestaram a sua preocupação e condenação face aos atos de violência e intolerância registados na campanha para as eleições presidenciais do Brasil. Ravina Shamdanasi, porta-voz do Alto Comissariado da ONU para os Direitos Humanos, exigiu a abertura de uma investigação imediata e imparcial a todos os atos violentos já denunciados, cometidos, na sua maioria, por apoiantes do candidato de extrema-direita Jair Bolsonaro.

"O discurso violento e inflamado durante a campanha, particularmente contra pessoas LGBTI, mulheres, afrodescendentes e pessoas com diferentes visões políticas, é profundamente preocupante", considerou Ravina. A porta-voz apelou ainda aos líderes políticos e a "todos aqueles que tenham influência" para que condenem esses atos.

Desde domingo passado, quando Bolsonaro venceu a primeira volta das presidenciais, apoiantes seus têm atacado nas ruas de todo o Brasil mulheres, homossexuais, negros e transeuntes que usem algum tipo de propaganda contra ele, e um homem que disse ter votado no adversário, Fernando Haddad, foi assassinado à facada.

pub

pub

Ver todos os comentários
Para comentar tem de ser utilizador registado, se já é faça
Caso ainda não o seja, clique no link e registe-se em 30 segundos. Participe, a sua opinião é importante!